segunda-feira, 18 de junho de 2012

O trabalho na Igreja depende de Deus

Clubes de luta, reggae, campeonatos de surf e até tatuadores estão atraindo cada vez mais jovens para as igrejas evangélicas do Brasil, afirma reportagem publicada pelo jornal americano New York Times. "Noites de luta e reggae enchem as igrejas brasileiras" é o título de uma reportagem que descreve o recente crescimento das Igrejas Evangélicas no Brasil e a evasão de fiéis da Igreja Católica. A igreja Renascer em Cristo está entre o crescente número de igrejas evangélicas no Brasil que estão encontrando novas formas de se conectar com os jovens para aumentar seu rebanho de fiéis. De noites de luta a reggae, vídeo games e até tatuadores, suas igrejas vêm ajudando a tornar o movimento evangélico o movimento espiritual que mais cresce no Brasil.


Diante de um fato como este surge uma pergunta: será que as pessoas que estão trabalhando em prol do crescimento das igrejas evangélicas no Brasil trabalham na dependência de Deus, ou usam filosofias próprias para atrair adeptos à Igreja de Cristo?

Você que trabalha na sua Igreja ou Congregação, como você tem trabalhado? De qualquer jeito? Do seu jeito? Ou na dependência do Senhor?

A realidade é que o crescimento de muitas igrejas evangélicas no Brasil não condiz com a vontade de Deus, mas com filosofias, idéias, modernizações e inovações de líderes que trabalham em prol de uma satisfação humana e não Divina. São pessoas que não trabalham na dependência de Deus, e sim, trabalham baseadas em suas próprias convicções. Diante disso defendo que: Devemos depender do Senhor para trabalhar na Igreja! Veja o que diz em Ag 1.14: “O SENHOR despertou o espírito de Zorobabel, filho de Salatiel, governador de Judá, e o espírito de Josué, filho de Jozadaque, o sumo sacerdote, e o espírito do resto de todo o povo; eles vieram e se puseram ao trabalho na Casa do SENHOR dos Exércitos, seu Deus,” Há neste versículo 3 razões pelas quais devemos depender do Senhor para trabalhar na Igreja. A primeira razão é:
I.  Devemos depender do Senhor para trabalhar na igreja porque Ele é o nosso Líder Supremo.

Qualquer organização precisa de uma liderança, caso contrário ela não será bem sucedida. Se não houver uma centralização, todos os membros do grupo vão querer mandar e, conseqüentemente, os resultados serão os mesmos de uma anarquia, ou seja, confusão e bagunça. Imagine uma família sem um pai! O filho chegará a hora que quer, comerá o que quiser e estudará se quiser! Também, se não houver uma liderança, a organização dificilmente terá uma ideologia ou filosofia própria. Por isso, ela terá grandes dificuldades em formular uma missão, uma visão, um propósito, objetivos gerais e específicos e muitos menos estabelecimentos de metas. Além disso, é bom lembrar que a liderança deve possuir qualidades que proporcionem o bom desenvolvimento de todas as suas atribuições dentro da organização. Imagine uma liderança despreparada! A organização será um caos. Cheia de problemas e sem crescimento.

Além da liderança, qualquer organização precisa de súditos fiéis, caso contrário os líderes não poderão por em prática a missão, a visão, o propósito, os objetivos gerais e específicos e as metas. A obra do Senhor é semelhante. Existe a liderança e os súditos.

Na época do profeta Ageu, os judeus estavam passando por uma profunda frieza espiritual. Já faziam mais ou menos 16 anos que eles tinham voltado do cativeiro da Babilônia. Deus havia libertado o povo e dado a ordem de reconstruir o Templo que o rei Nabucodonosor tinha destruído na invasão babilônica. Eles começaram a construção do Templo, mas por que estavam frios espiritualmente não foram perseverantes e pararam nos alicerces do Templo. O que eles estavam fazendo durante esta paralisação? Estavam se ocupando com suas casas particulares e suas próprias vidas! Abandonaram a Obra do Senhor para se preocuparem com suas casas e deixá-las luxuosas. Então, Deus levantou o profeta Ageu para mostrar que eles estavam em pecado e também para ordenar a reconstrução do Templo. Depois que o profeta Ageu admoestou e repreendeu o povo, eles reagiram positivamente – voltaram a construir o Templo do Senhor!

Ageu, em sua narrativa, deixou bem claro quem era o Líder Supremo dos judeus. Ele não era humano, era Divino. Por trás de toda ação humana na reconstrução do Templo de Jerusalém, existia a atuação silenciosa do SENHOR. Ele moveu o Espírito Santo na vida de cada homem de tal forma que eles ficaram motivados para iniciar a construção do Templo. A motivação não foi humana, mas Divina. Ageu quando narra a ação de Deus, ele utiliza o nome pessoal de Deus. A palavra toda em maiúscula “SENHOR” no início do versículo 14 que indica o nome particular e pessoal de Deus. Algumas versões traduzem como “JEOVÁ” ou “JAVÉ”. SENHOR no original é YAHWEH, o nome mais sagrado de Deus. É tão sagrado que os Judeus nem ousavam pronunciar ou escrevê-lo de qualquer jeito. Este nome também possui alguns significados: o utilizado neste versículo mostra que Deus estava presente e era ativo no meio do seu povo. O SENHOR é o Deus auto existente. A palavra SENHOR indica que Ele o Deus Líder Supremo e presente de Judá que está na dianteira na reconstrução do Templo. A liderança e a presença do SENHOR foram cruciais nesta obra.

Caro leitor, o Deus YAHWEH de Israel é o mesmo Deus da Igreja. Ele atua da mesma forma, sendo o líder do seu povo, o Líder Supremo da Igreja. É ele quem age no meio do seu povo: “pois é Deus quem efetua em vocês tanto o querer quanto o realizar, de acordo com a boa vontade dele” Fp 2.13. Então, 1) Reconheça que Deus é o seu Líder Supremo. 2) Peça para Ele te usar dentro da Igreja dEle. 3) Seja um súdito fiel dEle. 4) Lembre-se sempre que, se você é cristão, logo, seu Líder Supremo é Deus, por isso obedeça-O.

Além de Deus ser o nosso Líder Supremo, há outra razão por que dependemos do Senhor para trabalhar na Igreja.
II.    Devemos depender do Senhor para trabalhar na igreja porque a obra é dEle.

O profeta Ageu deixou bem claro que o povo começou a construir não foi a casa deles, mas a Casa do SENHOR dos Exércitos. Ele ainda enfatizou quem era o SENHOR DOS EXÉRCITOS, era “seu Deus” – o Deus deles. Isso mostra que a obra não é humana, portanto, não tem valor humano. A obra é Divina, tem valor Divino, valor Celestial, valor espiritual.

O trabalho hoje em dia na Igreja de Cristo, também deve ser realizado com o mesmo pensamento, que não é seu, mas é de Deus. A obra de Deus deve ser realizada da forma como Ele quer e não da nossa forma. Infelizmente em muitas Igrejas, o trabalho é realizado como os líderes querem (lembra-se da introdução?)! Todo cristão precisa fazer o trabalho cristão do jeito que Deus quer. Saber disto, lembramo-nos de um princípio muito pertinente e que deve ser levado em conta quando se está colocando a mão na massa num trabalho que não é seu, mas de outrem: o princípio do zelo. Este é o princípio que deve reger o seu trabalho cristão, porque não é seu, mas de Deus. Imagine que você trabalha consertando televisão. Chega um cliente e deixa a TV em suas mãos para o conserto. O que você deve fazer? Consertar! Como você deve fazer? Com muito zelo, ou seja, com dedicação, cuidado, diligência e muita pontualidade, porque você prometeu entregar no tempo determinado. Qualquer trabalho na Igreja é do SENHOR, portanto você deve realizá-lo com zelo. Nunca desempenhe o trabalho com desleixo ou relaxadamente, lembre-se da alerta de Jeremias: “Maldito aquele que fizer a obra do SENHOR relaxadamente!” Jr 48.10a

Por isso, 1) Reconheça que a obra é de Deus, não é sua. 2) Zele pela obra de Deus. 3) Se você é líder de alguma área da Igreja, lembre-se que você não é o dono da Igreja, apenas um súdito de Deus. 4) Se você recebeu um cargo que estava todo desorganizado no início do ano, não fique triste! Use o mesmo princípio que Tiririca utilizou nas propagandas políticas da TV: Vote em Tiririca que pior não fica! No fim deste ano, entregue o seu cargo igual ou melhor que encontrou, lembre-se, a obra é de Deus.

Já vimos duas razões por que dependemos do Senhor para trabalhar na Igreja: porque Ele é o nosso Líder Supremo e porque a obra e dEle. Agora, vamos ver a última razão.
III.  Devemos depender do Senhor para trabalhar na igreja porque somos fracos.

Ageu não disse com todas as letras que os judeus eram fracos. Mas ele deixou implícito que os judeus precisavam de ajuda, porque eles eram fracos. Notem que para eles começarem a trabalhar na Casa do Senhor, eles tiveram que ser motivados, encorajados e animados pelo SENHOR. Se não fosse o SENHOR, eles não teriam agido, “Deus despertou o espírito deles”. Deus havia mudado a motivação do povo que outrora estava em apainelar suas casas particulares (deixá-las luxuosas) para construir a Casa do SENHOR que estava em ruínas.

Também para Deus, todos são iguais. Da mesma forma que Ele despertou o espírito do povo, também despertou o espírito dos líderes humanos ao motivar Zorobabel, o governador e Josué, o sumo sacerdote. Todo mundo é fraco, ninguém é forte e capaz o suficiente para realizar a obra do Senhor sozinho, sem que ele haja intervindo primeiro. Isso acontece, “porque todos pecaram e carecem da glória de Deus.” Rm 3.23

Será que todos os judeus que estavam empenhados na construção, entendiam perfeitamente como construir o Templo? Não. Mas Deus também capacitou aquelas pessoas que não tinham habilidades, a fim de realizar a Sua obra.

Nos tempos da Igreja, isto não é diferente. É Deus quem anima, encoraja e motiva os crentes para trabalhar na Igreja. Sejam estes líderes ou não. (Se você não sabe, a liderança, em certos momentos está desmotivada, mas como Deus sabe que a liderança humana da Igreja é fraca, Ele enche seus corações de motivações corretas para dar continuidade com o trabalho na Igreja). Deus também capacita muitos crentes para servir ao Senhor, não espere ser perfeito para trabalhar na Igreja, não espere ser um expert para servir ao Senhor em sua Igreja, não, pois ele capacitará sua vida, ele sabe que você é fraco. 1) Reconheça que você é fraco e que precisa de Deus. 2) Peça a Deus capacitação e ânimo para trabalhar na Igreja dEle.

Nós vimos três razões pelas quais devemos depender do Senhor para trabalhar na Igreja. Essas razões nos ensinaram que não podemos realizar a obra de Deus de qualquer jeito e muito menos do nosso jeito. Isto evitará que caiamos nos erros dos líderes de muitas “megaigrejas” que são independentes de Deus, a exemplo da reportagem que vimos no início. Lembre-se de depender do Senhor para trabalhar na Igreja:
·           Porque o Senhor é o Líder Supremo da Igreja;
·           Porque a Obra é do Senhor; e
·           Porque somos fracos.

Meu amado irmão, minha amada irmã, você ouviu hoje que deves depender de Deus para trabalhar na Igreja. Mas pode ser que você esteja empenhado em algum serviço cristão sem depender de Deus, ou seja, fazendo como quer. Quero lhe dá a oportunidade de orar a Deus, pedindo perdão. E também de suplicar a Deus ajuda para começar a permanecer na dependência de Deus em qualquer serviço que realizar.

Também quero chamar a atenção de você que ainda não é crente. Você deve ter percebido que na Igreja de Cristo não se pode trabalhar de qualquer jeito. Apenas do jeito de Deus! Devemos obedecê-Lo. Só que você pode está pensando: eu não quero mesmo trabalhar na Igreja! Mas eu digo para você que servir ao Rei dos reis e Senhor dos senhores em sua Igreja é um privilégio ímpar que produz no crente uma alegria sem igual. Porém, antes de você servir a Cristo, você precisa entregar sua vida a Ele. Você precisa se arrepender de seus pecados e ter fé em Jesus Cristo, como seu único Senhor e Salvador pessoal. Faça isso.

A serviço do Mestre

Tibério Bezerra

Nenhum comentário:

Postar um comentário