sexta-feira, 22 de junho de 2012

A salvação é por obras ou pela Graça?

O pecado é a barreira que faz divisão entre o homem e Deus, leia comigo Is 64.6-7: “Mas todos nós somos como o imundo, e todas as nossas justiças, como trapo da imundícia; todos nós murchamos como a folha, e as nossas iniquidades, como um vento, nos arrebatam. Já ninguém há que invoque o teu nome, que se desperte e te detenha; porque escondes de nós o rosto e nos consomes por causa das nossas iniquidades.” Isaías apresenta algumas características humanas: o homem é imundo, murcha como a folha, é cheio de iniquidade e não invoca o nome de Deus. Por conta desta situação espiritual miserável do pecador, Deus esconde o rosto dele. Voltando na cronologia bíblica, Adão e Eva eram seres humanos que não tinham pecado e eles se relacionavam livremente com Deus. Não havia divisão ou barreira, mas havia comunhão plena com Deus. Todavia quando o pecado da desobediência entrou na vida deste casal, eles se esconderam de Deus, envergonhados. Aquela comunhão que tinham com o Deus criador foi quebrada. Leia comigo Gn 3.8: “Quando ouviram a voz do SENHOR Deus, que andava no jardim pela viração do dia, esconderam-se da presença do SENHOR Deus, o homem e sua mulher, por entre as árvores do jardim.” A partir deste triste evento, a queda do homem, a morte passou a ser comum a todos os homens. A desobediência de Adão e Eva foi a causa da barreira entre Deus e eles. E também entre nós e o nosso Deus. Assim, podemos definir pecado como sendo toda e qualquer atitude praticada pelo homem, através do corpo ou da mente, que é contrária à vontade soberana de Deus determinada em Sua Palavra, a Bíblia Sagrada. Tudo o que o homem faz que a Bíblia condena, isto é classificado como pecado.


A situação do homem é tão miserável que ao nascer, ele é concebido em pecado, veja comigo Sl 51.5: “Eu nasci na iniquidade, e em pecado me concebeu minha mãe.” O homem quando nasce, já começa sua vida fazendo o que desagrada a Deus. O homem vive numa depravação espiritual total de tal forma que ele já nasce caminhando para o inferno e prossegue cegamente neste caminho de morte. A realidade pecaminosa dele é muito séria, aliás, é a verdade mais séria que possa existir, pois quanto mais ele peca, mais ele se afasta de Deus e, consequentemente, mais certo é o seu sofrimento eterno no inferno! Isto significa a morte eterna. Foi pela desobediência de um homem que a morte passou a todos os homens, porque o resultado do pecado é a morte.


Agora, pense um pouco: se o homem já nasce e vive nessas condições tão depravadas do pecado que gera a morte espiritual, do quê ele está precisando? Ele está precisando urgentemente de salvação que o redima desta miséria espiritual. A pergunta chave é: então como o homem pode obter esta tão grande salvação remissiva?


Muitas pessoas creem nesta realidade espiritual da humanidade e sabem que precisam de salvação, mas o problema é que elas não sabem onde encontrá-la e procuram em locais errados. Um destes caminhos errôneos mais comuns é o das boas obras. Não é muito difícil você escutar pessoas usarem jargões como este: “Olhe, eu faço o bem sem olhar a quem!” e pior é a conclusão delas: “Por isso eu sou salvo, eu vou para o céu!” Outras dizem: “Eu sempre vou à igreja e faço minhas orações!” e ainda há pessoas que afirmam: “Eu cumpro os dez mandamentos, por isso já estou no céu.” Porém para estas pessoas que pensam assim, quero ler um versículo na Bíblia, ele se encontra em Romanos 3.20: “visto que ninguém será justificado diante dele por obras da lei, em razão de que pela lei vem o pleno conhecimento do pecado.” Perceba, caro leitor, pecador, que se você também tem tais pensamentos de auto suficiência de salvação através das boas obras que você tem realizado, você continuará no caminho do inferno. Não há nada que você possa fazer para conquistar sua salvação. O que Paulo fala é claro! Ninguém será justificado diante de Deus por qualquer obra que possa fazer. Se você tem vivido com esta ilusão de fazer caridades, de ser uma pessoa boa com o fim de ser salvo, leve em consideração as palavras de Paulo. Saiba que você, nem eu e nem ninguém pode ser salvo pelas nossas práticas mesquinhas e miseráveis de bondade.


Diante de Deus suas obras não são nada, pois a obra que Jesus Cristo fez uma única vez e por todas é superior às quais o homem fez, faz e fará. Veja o que diz I Pe 3.18: “Pois também Cristo morreu, uma única vez, pelos pecados, o justo pelos injustos, para conduzir-vos a Deus; morto, sim, na carne, mas vivificado no espírito,”. A resposta para a salvação da humanidade é oriunda de Deus, caro leitor. Por quê? Porque Ele mandou o Seu filho amado de graça, para morrer pelos pecados do homem que confiar apenas nele e, por fim, dá a salvação que o homem precisa para ser livre da condenação do inferno. Pense nesta pergunta: “você já pediu a Deus para lhe dar a salvação?” Note que a salvação é um dom (um presente) de Deus. Veja o que a Bíblia diz em Efésios 2.5,8: “e estando nós mortos em nossos delitos, nos deu vida juntamente com Cristo, pela graça sois salvos, porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus;”. Se você fosse salvo pelas suas ínfimas obras, o sacrifício vicário de Cristo na Cruz do Calvário teria sido em vão e inútil, “Ora, eu não posso me salvar sozinho!?


A Palavra de Deus é clara quanto a sua salvação, não é por obras, mas pela graça de Deus manifesta em Cristo Jesus. Ef 2.9 diz que a salvação não vem das obras para que ninguém se glorie. Imagine se a salvação do homem pudesse ser pelas obras. Parece-me que os ricos sairiam com vantagens em busca da salvação, ora, eles têm recursos financeiros que possibilitariam a práticas de inúmeras boas obras. Eles poderiam fazer caridades em vários países da África, por exemplo. Agora, pense no outro lado da moeda. Pense nas pessoas que são extremamente pobres, a maioria dos africanos! Como eles poderiam ser salvos, se a salvação fosse pelas obras? Seria muito mais difícil! Crer na salvação como um dom, como um presente, como uma graça de Deus, conforta os nossos corações, pois sabemos que somos incapazes de fazer alguma obra à altura da salvação. O preço da salvação é muito alto. Infelizmente a grande multidão de pessoas deste mundo quer comprar a salvação com seus meros esforços. Parece-me que a grande multidão do mundo quer ir a uma loja de carros importados para comprar um carro que custa 1 milhão de dólares. Só que esta grande multidão chega à loja com apenas um centavo de real no bolso. Na realidade isto não dá nem para pagar o pito que está no pneu de estepe do carro. Caro leitor, somente a graça de Cristo pode ser o penhor da salvação do homem! Somente Cristo é a segurança que temos de sermos salvos.


O versículo em Efésios 2.5,8 é muito claro quanto à discussão que concluímos – a salvação é pela graça em Cristo Jesus. O mérito da salvação não é seu, mas de Deus. Caro leitor, seja eternamente grato a Deus por tão grande salvação, arrependa-se dos seus incontáveis pecados e tenha fé em Cristo Jesus! Saia agora mesmo da mentira que lhe cega e venha, não atrase, para Cristo que lhe dá, de graça, esta Salvação tão preciosa!


E você que é crente, como você tem desenvolvido a salvação que recebeu de graça do Senhor Jesus? Leia e medite em Ef 2.10 que diz assim: “Pois somos feitura dele, criados em Cristo Jesus para boas obras, as quais Deus de antemão preparou para que andássemos nelas.” Todo crente é salvo para ter uma vida ativa na obra de Deus. Você tem sido ativo na obra do Senhor Jesus Cristo? Quando penso em ter uma vida ativa na obra de Deus, lembro-me de irmã Nilza, uma grande crente que reconhecia isto em sua vida, apesar dos seus 73 anos de idade. Você que é crente, ande nas obras de Cristo Jesus, porque você já foi salvo pela graça de Cristo.


Deus te abençoe!


A serviço do Mestre


Tibério Bezerra

Nenhum comentário:

Postar um comentário