domingo, 1 de julho de 2012

A Igreja e a Vontade de Deus em Missões



Uma das características de uma personalidade é a VONTADE. As outras são intelecto e emoção. Você geralmente identifica melhor uma pessoa quando ela transmite indícios de vontade própria. Se ela não possuir vontade, logo o seu objeto de observação não é uma pessoa, pode ser que seja uma televisão, rádio ou um computador. Também os animais não possuem vontade, apenas instintos peculiares a cada raça ou espécie, logo não são pessoas.

O que é vontade? “Sentimento que incita alguém a atingir o fim proposto por esta faculdade. Com outras palavras é uma aspiração, anseio ou desejo” Dicionário Aurélio.

Então quem possui vontade? O homem possui vontades próprias. Como o homem foi criado à imagem e semelhança de Deus, logo, Deus também possui vontades. A vontade do homem é limitada por sua natureza caída e por ser finito. Mas a vontade de Deus é ilimitada, perfeita e soberana. “É aquele aspecto de Deus que põe em ação tudo que Ele determina e permite.” (Apostila de PDI do SBC). Aprenderemos nesta meditação que DEUS DESPERTA A IGREJA PARA REALIZAR A SUA VONTADE.

Primeiro quero responder a seguinte pergunta: será mesmo que Deus possui vontade própria? A resposta é: eu só não digo que Ele possui vontade própria, como também...

I.   DEUS REALIZA A SUA VONTADE.

Vamos provar que Deus possui e realiza vontade estudando um pouco sobre o cativeiro da Babilônia que os Judeus sofreram.

Em II Reis 20.16-17 encontramos a profecia do cativeiro da Babilônia dada por Isaías no reinado de Ezequias, rei de Judá: “Então, disse Isaías a Ezequias: Ouve a palavra do SENHOR: Eis que virão dias em que tudo quanto houver em tua casa, com o que entesouraram teus pais até ao dia de hoje, será levado para a Babilônia; não ficará coisa alguma, disse o SENHOR.” A mesma profecia é relatada em Isaías 39.5-6:“Então, disse Isaías a Ezequias: Ouve a palavra do SENHOR dos Exércitos: Eis que virão dias em que tudo quanto houver em tua casa, com o que entesouraram teus pais até ao dia de hoje, será levado para a Babilônia; não ficará coisa alguma, disse o SENHOR.”

Percebemos nas duas passagens uma expressão referente a Deus que se repete. É a expressão: “Ouve a palavra do SENHOR dos Exércitos.” Isto quer dizer que Deus tinha um desejo, o de castigar o povo Judeu. Por causa do pecado deles, a vontade de Deus era de castigá-los. Vale notar que nessa profecia, Isaías cita até o nome do império Babilônico que levaria os tesouros de Judá. Isto é muito importante porque na época em que foi feito esta profecia, a Assíria era a grande potência econômica e militar do mundo e não a Babilônia.

Outra profecia muito semelhante é vista em Jeremias 25.8-11 durante o reinado de Jeoaquim, rei de Judá: “Portanto, assim diz o SENHOR dos Exércitos: Visto que não escutastes as minhas palavras, eis que mandarei buscar todas as tribos do Norte, diz o SENHOR, como também a Nabucodonosor, rei da Babilônia, meu servo, e os trarei contra esta terra, contra os seus moradores e contra todas estas nações em redor, e os destruirei totalmente, e os porei por objeto de espanto, e de assobio, e de ruínas perpétuas. Farei cessar entre eles a voz de folguedo e a de alegria, e a voz do noivo, e a da noiva, e o som das mós, e a luz do candeeiro. Toda esta terra virá a ser um deserto e um espanto; estas nações servirão ao rei da Babilônia setenta anos.

Novamente vemos a expressão “assim diz o SENHOR dos Exércitos”. Qual era a vontade de Deus? A de castigar o povo pelos inúmeros pecados que vinham cometendo. Essa profecia de fato se cumpriu detalhadamente, porque Deus realiza a sua vontade. A cidade de Jerusalém ficou totalmente destruída por conta da invasão Babilônica, o Templo foi destruído e todos os utensílios dele foram roubados pelo rei babilônico Nabucodonosor.

Já no versículo seguinte, o 12, Deus fala que: “Quando se completarem os setenta anos, castigarei o rei da Babilônia e a sua nação, a terra dos babilônios, por causa de suas iniquidades, declara o Senhor, e a deixarei arrasada para sempre.” (Jeremias 25.12) Aqui vemos a expressão: “declara o Senhor”. A vontade de Deus não é mais castigar, mas de livrar o povo. Essa profecia também se cumpriu como o Senhor havia dito, porque Deus realiza a sua vontade.

Agora a vontade de Deus não é mais de castigar o povo, mas de restaurar a nação de Judá. Começando pelo Templo do Senhor que ficou em ruína durante décadas. Em Ageu 1.8, vemos expressamente qual era a vontade de Deus. “‘Subam o monte para trazer madeira. Construam o templo, para que eu me alegre e nele seja glorificado’, diz o Senhor”. Aqui vemos a expressão: “diz o Senhor”. A vontade de Deus em reconstruir o Templo que estava em ruína foi efetivada como vemos em Esdras 6.15: “O templo foi concluído no terceiro dia do mês de adar, no sexto ano do reinado do rei Dario.”

Você percebeu que a nação de Judá foi disciplinada por Deus. Deus conduziu a vida deles, conforme a sua soberana vontade. Disse que ia castigar e castigou, disse que ia reconstruir e reconstruiu. Eu tenho duas perguntas a lhe fazer: Sua vida tem andado dentro da vontade de Deus? Ou você tem feito dela o que quer? Procure entender a vontade dEle para sua vida através da oração e leitura da Bíblia. Peça a Deus para você entender sua soberana vontade e para Ele realizar a vontade dEle em sua vida.

Vimos que Deus possui vontades próprias, agora vamos entender que Deus age na vida das pessoas.

II.   DEUS DESPERTA PESSOAS PARA REALIZAR A SUA VONTADE.

Quando Deus quer realizar a sua vontade, geralmente, Ele não sai lá do Céu, da sua glória, e coloca a “mão na massa” aqui na terra. Uma das exceções foi quando Cristo veio realizar a obra substitutiva na Cruz do Calvário, porque ninguém poderia fazer no Seu lugar. Em geral, quando Deus tem uma vontade que envolve pessoas aqui na terra, ele desperta pessoas para realizá-la. Vou exemplificar usando 3 passagens relacionadas à construção do Templo do Senhor depois do Cativeiro babilônico. Para isso nós vamos avaliar uma expressão que se repete nos três textos: “O SENHOR despertou o espírito de” (marque esta expressão na sua Bíblia). Esta expressão tem o mesmo sentido que “O SENHOR animou” ou “O SENHOR despertou o coração de”.

Em Jeremias 25.12, como vimos, Deus disse que ia acabar com o império babilônico. Depois disso Deus despertou o espírito de Ciro para realizar a sua vontade. Quem foi Ciro? Ciro foi um dos grandes reis do império medo-persa que estava crescendo através de suas muitas conquistas no Oriente Médio e na região dos caldeus, onde fica a Babilônia. Sua estratégia de exército era “beneficiar as nações para controlá-las”. Ele derrotou o grande império babilônico mesmo na época em que o povo Judeu estava cativo. A vontade de Deus para a vida de Ciro fora profetizada em Isaías 45.13: “Eu, na minha justiça, suscitei a Ciro e todos os seus caminhos endireitarei; ele edificará a minha cidade e libertará os meus exilados, não por preço nem por presentes, diz o SENHOR dos Exércitos.” A profecia do Senhor que expressa a Sua vontade é muito clara, pois Ele cita até o nome do rei muito antes dele existir. O cumprimento desta promessa é relatado em Esdras capítulo primeiro. Deus despertou o espírito de Ciro com a missão de soltar os Judeus a fim de retornarem a sua terra natal. Vamos ler primeiramente Esdras 1.1-4;7-11.

Deus despertou a alma e a mente do rei da Pérsia, Ciro, para 1) decretar a libertação do povo, 2) ordenar o trabalho no Templo do SENHOR em Jerusalém 3) e também para ordenar que os outros habitantes doassem bens para os judeus levarem para as suas terras.

No versículo 1º, é narrado que Deus foi o responsável por despertar o rei Ciro para realizar a sua própria vontade de libertar os judeus do cativeiro. Aprendemos aqui que Deus usa a quem Ele quer para realizar a sua missão. Usou até um gentio, ou seja, um não judeu. No versículo 2, é dito que Deus o encarregou de lhe edificar uma casa em Jerusalém de Judá. Deus deu uma missão para ele cumprir. No versículo 3, Ciro, em nome da vontade de Deus, ordena que quem fosse de Deus subisse até Jerusalém com a missão de realizar a vontade de Deus, edificando a Casa do Senhor. No versículo 4, Ciro ordena que os remanescente da terra da Babilônia ajudassem o povo judeu com ofertas voluntárias de prata, ouro, bens e gado para a construção do Templo. Nos versículos 7 a 11, Ciro resolveu devolver todos os utensílios do Templo que o Rei Nabucodonosor, da Babilônia, tinha trazido de Jerusalém quando este destruiu o Templo.

Agora leia o versículo 5. Aqui Deus despertou o espírito de algumas pessoas de Jerusalém. Além de despertar o rei Ciro, Deus também animou alguns judeus para iniciarem esta missão. Eles sairiam da Babilônia com a missão de construir o Templo do Senhor. Percebemos que Deus havia despertado, não todo o povo judeu, mas somente alguns dos judeus que estavam na Babilônia para construírem o Templo do Senhor. Quando eles chegaram a Jerusalém, eles começaram a obra. Eles lançaram os fundamentos (alicerces). Todos ficaram animados, felizes e entusiasmados, pois o Templo tinha muito significado para eles, ora, era o local onde a Glória de Deus estava.

Porém, enquanto eles estavam empenhados na missão que o Senhor havia dado, eles mesmos começaram a perceber que suas casas particulares não estavam bem arrumadas e acabadas. Eles começaram a se distanciar da vontade de Deus. Por isso deixaram de lado a edificação da Casa do Senhor que estava até então apenas nos alicerces e passaram a cuidar de suas vidas particulares. Este esfriamento durou mais 10 anos. Então, o Senhor  interveio e despertou o espírito de Zorobabel, de Josué e do resto de todo o povo, veja Ageu 1.14: “O SENHOR despertou o espírito de Zorobabel, filho de Salatiel, governador de Judá, e o espírito de Josué, filho de Jozadaque, o sumo sacerdote, e o espírito do resto de todo o povo; eles vieram e se puseram ao trabalho na Casa do SENHOR dos Exércitos, seu Deus (...)”. Zorobabel era o governador da nação de Judá que se encarregou de liderar o primeiro retorno do cativeiro da Babilônia. Josué era o sumo sacerdote da nação de Judá que também veio para Jerusalém no primeiro retorno junto com Zorobabel. Depois que Deus despertou o povo novamente, eles voltaram a continuar a construção do Templo e terminaram mais ou menos 20 anos depois que chegaram em Jerusalém do cativeiro babilônico. Disto, podemos entender que quando Deus tem uma vontade, ele realiza a mesma despertando o espírito de quem lhe apraz.

Sabendo disto, esteja sensível (atencioso) para entender quando Deus estiver despertando o seu espírito para você realizar alguma missão para ele, assim como Zorobabel, Josué, o povo judeu, os povos vizinhos do cativeiro e o rei Ciro. Novamente, sempre lei a Bíblia e ore pedido a Deus discernimento de Sua soberana vontade.

Entendemos que Deus possui vontades e que Ele desperta pessoas para realiza-la. Por fim, veremos que Deus também age na Igreja para realizar a sua vontade.

III.   DEUS DESPERTA A IGREJA PARA REALIZAR A SUA VONTADE.

Os Judeus são o povo de Deus. Deus agiu durante muitos anos na vida de muitas pessoas desta nação. Ele levantou reis, governadores, sumos sacerdotes, profetas e o próprio povo para realizar Sua vontade soberana na vida deles. Um exemplo disto é o que nós vimos! O exemplo da construção do Templo depois do exílio babilônico. Mas será que Deus age mesmo em nossa vida hoje em dia? Será que Deus usa a Igreja como usou a nação de Judá? Será que Deus realiza a Sua vontade soberana na vida cotidiana da Igreja atualmente?

Há um versículo na Palavra de Deus que nos diz que nós somos um povo exclusivo de Deus, somos uma nação santa. Veja I Pedro 2.9: “Vós, porém, sois raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fim de proclamardes as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz;”

Pedro nos diz que somos especiais, somos povo de propriedade exclusiva de Deus. Imagine que você tem no centro da sua cidade uma vaga exclusiva para estacionar seu carro! Que privilégio seria, não é!? Pois bem, a Igreja de Cristo, todos os crentes, possuem muito mais privilégios do que ter apenas uma vaga exclusiva no centro de uma cidade. Nós temos a exclusividade de proclamar as virtudes de Deus para o mundo. Isto não é para qualquer pessoa, apenas para a Igreja, para os crentes. Esta Missão é singular, é ímpar. Existem vendedores que são exclusivos de certos produtos, ninguém mais do que eles podem negociar aquele produto. Nós somos o povo exclusivo para evangelizar. Que privilégio, não é!? Até os anjos (I Pedro 1.12) almejam esta proeza, mas Deus nos deu exclusividade na MISSÃO de IR e PREGAR o EVANGELHO!

Sabendo disto, como tem sido o seu envolvimento com Missões. Você está desmotivado para continuar a se envolver com Missões? Você está sem ânimo para se envolver com Missões? Veja que você é propriedade exclusiva de Deus. Você não é qualquer pessoa, Deus despertou sua vida da morte para você agarrar a Missão de proclamar o Evangelho! Para você se envolver com a Obra Missionária indo, orando e contribuindo! Ore para que Deus desperte o seu espírito com o fim de se envolver com Missões. Ore para você não ficar desmotivado em continuar na obra do Senhor. Peça a Deus motivação constante.

Deus despertou o espírito de muitos missionários para ir ao campo fazer a missão de Deus. Agora, eu te pergunto: quantos missionários você conhece que estão no campo? Por quantos você ora? Por quantos você contribui? Qual a sua atitude quando você está escutando um relatório missionário na sua Igreja? Porventura, você perde a sua atenção, porque não tem interesse? Ou você fica ainda mais vidrado na pessoa que está lendo o relatório, porque você acha tão empolgante, vibrante? Irmãos, a vontade de Deus é que todos se envolvam com Missões, que todos lutem por missões, ora, é o coração de Deus, é o coração da Igreja. Você pode fazer a vontade de Deus em Missões orando, indo e contribuindo. Outra pergunta: Para que somos propriedade exclusiva de Deus se não estamos fazendo a vontade de Deus em Missões, se foi para isso que Deus nos chamou? Peça a Deus o despertar do seu coração em Missões.

Saiba que Deus tem vontade que todas as pessoas do mundo cheguem ao pleno conhecimento da verdade. Veja estes versículos: I Timóteo 2.4: “o qual deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade.”; Marcos 16.15: “E disse-lhes: Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura.”; e também Atos 1.8: “mas recebereis poder, ao descer sobre vós o Espírito Santo, e sereis minhas testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da terra.”. Assim como Deus tinha vontade de levar o povo Judeu para o cativeiro da Babilônia, e depois a vontade de Deus era libertar o povo do cativeiro babilônico e tudo isto aconteceu, Deus também tem vontade que as pessoas sejam salvas da condenação eterna do pecado que é o inferno. Com certeza, Deus chamará e salvará todos os eleitos espalhados por todo o mundo, quer você esteja se envolvendo com Missões ou não. Agora se você não está se envolvendo, que vergonha é fazer parte do Exército de Deus e não fazer nada pelo mesmo! Se Missões não te empolga, não te deixa com cabelos arrepiados, não te deixa com um friozinho na barriga, é porque você está passando por algum problema. Descubra qual é este problema e peça a Deus a solução. Venho logo se envolver com Missões.

Deus pode levantar tanto crentes como descrentes para realizar muitas missões, mas a missão de pregar o Evangelho, somente os crentes têm este privilégio. Ora, somente os crentes podem testemunhar do que Cristo pode fazer a uma alma! Peça a Deus para ele despertar sua vida para Missões, pois esta é a vontade de Deus para todo crente, isto inclui você. Ou você vai querer ficar de fora deste combate espiritual tão vibrante?

Vimos que Deus tem vontade própria e que sua vontade é soberana. Vimos que a vontade de Deus uma hora foi para castigar o povo judeu através da destruição de Jerusalém, destruição do Templo e aprisionamento por 70 anos no cativeiro babilônico. Outra hora a vontade de Deus foi para livrar o povo do cativeiro com grande autoridade e outra hora a vontade de Deus foi de reconstruir o Templo. Vimos que nisto tudo Deus despertou muitas pessoas para realizar as suas muitas Missões.

Da mesma forma, Deus tem uma vontade para a Igreja. A Missão de Pregar o Evangelho. Deus desperta, anima e encoraja a Igreja através do Seu Santo Espírito para realizar a sua vontade na evangelização mundial.

Para finalizar, que apelar a você que é crente. Você percebeu Deus agiu na vida da nação de Israel realizando a Sua vontade. Também você viu que Deus age igualmente na vida da Igreja. Mas você pode está numa situação de desânimo e não está fazendo a vontade de Deus ao se envolver com Missões. Quero lhe dá a oportunidade para você falar com Deus e pedir a Ele motivação para sua vida. Não deixe para depois, não perca tempo em fazer a vontade de Deus na obra missionária. Procure se informar mais sobre os campos missionários que são muitos. Procure se informar sobre os missionários que estão no campo. Seja generoso e contribua financeiramente. Não deixe de orar pelos missionários. E esteja sensível para ouvir o chamado de Deus para você ir trabalhar no campo missionário. Já parou para pensar que isto pode ser a vontade de Deus para a sua vida? Peça a Deus para ele te despertar do sono espiritual e abrace Missão por amor da Glória de Cristo e por amor as almas perdidas.

Agora, você que não é crente. Você deve ter percebido que não realiza a vontade de Deus de jeito nenhum. Pois eu lhe digo que hoje é o dia para você começar a fazer a vontade de Deus. Antes você precisa entregar sua vida a Jesus Cristo. Você precisa se arrepender de seus pecados e ter fé em Jesus Cristo como seu único Senhor e Salvador pessoal. Creia em Jesus e seja salvo para proclamar as virtudes do Senhor Jesus Cristo ao redor do mundo.

Deus te abençoe.

A serviço do Mestre

Tibério Bezerra


Nenhum comentário:

Postar um comentário